Notícias inovação

 

Podcast conta histórias reais do cooperativismo

O podcast PodCooperar é a mais nova iniciativa do Sistema OCB para promover o movimento SomosCoop. O projeto tem como objetivo difundir os princípios e benefícios do cooperativismo por meio de histórias reais de pessoas que tiveram suas vidas transformadas pelo coop.

Composto por oito episódios, o PodCooperar se dedica a apresentar casos de prosperidade em diferentes ramos do cooperativismo e demonstra a importância desses setores no desenvolvimento das comunidades. Agropecuário, consumo, crédito, infraestrutura, saúde, trabalho, produção de bens e serviços, e transporte são explorados para mostrar a experiência de pessoas que encontraram oportunidades de negócios e uma rede de apoio mútuo nas cooperativas.

 As histórias destacam como o cooperativismo transcende o aspecto econômico, impacta vidas e constrói relações sólidas. O episódio inaugural apresenta a narrativa de Maria Eneide Pereira Costa, uma mulher que enfrentou condições desafiadoras de vida no maior depósito de lixo da América Latina, localizado no Distrito Federal, e transformou sua realidade ao se tornar uma cooperada.

O segundo episódio apresenta a trajetória de Maria Luiza Prestes, ex-empregada doméstica que se tornou sócia de uma cooperativa do Rio Grande do Sul e pôde concretizar seus sonhos após a chegada da energia elétrica, fornecida por uma coop, em sua região. Garibaldi Murtosa Júnior, por sua vez, é protagonista do terceiro episódio, que conta a história de um menino mineiro que realizou o sonho de ser médico e teve no cooperativismo o apoio que precisava para construir a sua carreira.

Os episódios seguintes revelam depoimentos inspiradores e oferecem uma perspectiva singular sobre os benefícios e a relevância das cooperativas em diversos contextos. Durante a temporada, os episódios contam histórias de outras regiões do país com personagens únicos e inspiradores. O primeiro episódio já está no ar e você pode acessá-lo no Spotify, no canal SomosCoop e também no site SomosCoop.  A cada duas semanas, dois novos episódios serão publicados.

Reconhecimento em inovação com propósito

Onze cooperativas de crédito dos Sistemas Ailos, Sicoob, Sicred, Unicred e Viaicred, vinculadas ao Sistema OCB, foram certificadas com o selo Reconhecimento Inovação com Propósito - Recip 2º Ciclo, nesta segunda-feira (13). O reconhecimento é uma iniciativa do Instituto Fenasbac com apoio e patrocínio do Sistema OCB e de outras instituições do ramo. A cerimônia de divulgação das cooperativas premiadas contou com participação de autoridades, instituições internacionais e dirigentes do coop financeiro do país.

“O propósito é um diferencial desse modelo de negócios que precisa ser cada vez mais conhecido e reconhecido e essa iniciativa da Fenasbac caminha nesse sentido, o que nos deixa muito felizes por podermos participar de um momento como este. As cooperativas de crédito têm crescido de forma latente e esse reconhecimento é uma forma de atestar os valores do nosso movimento e o fato de que, com ele, todos ganham, afirmou a gerente-geral do Sistema OCB, Fabíola Nader Motta, que participou da cerimônia realizada no auditório do Banco Central do Brasil (BCB).

Ailton Aquino, diretor de Fiscalização do Banco Central parabenizou às cooperativas pelo trabalho de inclusão, educação financeira, acesso ao crédito e desenvolvimento social que desenvolvem. “Temos profundo respeito pelo diálogo que praticamos com o cooperativismo de crédito e por seu crescimento sólido que, de forma recorrente, se destaca acima dos outros sistemas financeiros, especialmente entre os micro, pequenos e médios negócios. Os princípios e propósitos do cooperativismo se traduzem em valores éticos e impulsionadores do que temos de melhor como pessoas. Ele conquista corações e mentes”, declarou.

Mediador da mesa de diálogo que abordou o tema A importância do propósito (resultados não financeiros) para inovação e sustentabilidade no cooperativismo financeiro nacional, Herold Espínola, chefe do Departamento de Supervisão de Cooperativas e de Instituições não Bancárias do Banco Central, lembrou que a vida só tem sentido quando há propósitos a perseguir. “Há quase 200 anos o cooperativismo faz o bem porque possui um propósito, se baseia em princípios simples que não envelhecem e são ferramentas para a sobrevivência e perenidade dos negócios. Nada é mais atual do que ter um propósito para se conectar com seus clientes. Ele precisa ser percebido e esse reconhecimento é uma contribuição nesse sentido”, salientou.

Carlos Calderon, diretor executivo da Organização dos Estados Americanos da União Federal de Crédito e co-patrocinador da United in Sustainability Summit 2023 (UIS), que será realizada nos dias 29 e 30 de novembro em Washington DC, convidou as três cooperativas reconhecidas na dimensão global para compartilharem suas melhores práticas no evento. “As cooperativas financeiras brasileiras são um exemplo para o mundo do que pode ser alcançado se todos colaborarmos e trabalharmos para uma visão comum e será um prazer receber as vencedoras no evento deste ano”.

As cooperativas foram reconhecidas em seis diferentes dimensões: Inovação Colaborativa, para iniciativas entre outras organizações e entre si; Inovação Participativa, para as ações envolvendo cooperados e cooperativas na gestão democrática, formação e informação; Inovação no Desenvolvimento de Capacidades, para reconhecer as iniciativas de formação dos colaboradores; Inovação ESG, para as iniciativas com foco ambiental, social e de governança; Inovação e Finanças Verdes, voltado para criação de condições de acesso ao crédito para empreendimentos sustentáveis; e Inovação com Propósito Global, com reconhecimento da excelência em todos os critérios avaliados.

Confira as categorias e coops reconhecidas:

DIMENSÃO INOVAÇÃO COM PROPÓSITO GLOBAL:

  • Sicoob Coopemata - Central Sicoob Secret
  • Sicredi Conexão Alto Uruguai - Central Sul-Sudeste
  • Viacred Ailos

DIMENSÃO INOVAÇÃO COLABORATIVA:

  • Sicredi Centro Sul MS - Central Brasil Central
  • Sicredi Ouro Verde MT - Central Centro Norte
  • Viacredi Alto Vale - Ailos

DIMENSÃO INOVAÇÃO PARTICIPATIVA:

  • Sicredi Cerrado GO - Central Brasil Central
  • Sicredi Sudeste MT/PA - Central Centro Norte
  • Viacredi Alto Vale - Ailos

DIMENSÃO INOVAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE CAPACIDADES:

  • Evolua Ailos
  • Sicoob Sarom - Central Creged
  • Unicred União - Central Geração

DIMENSÃO INOVAÇÃO ESG:

  • Sicredi Cerrado GO - Centra Brasil Central
  • Sicredi Sudeste MT/PA - Central Centro Norte
  • Viacredi Alto Vale - Ailos

DIMENSÃO INOVAÇÃO E FINANÇAS VERDES:

  • Sicredi Cerrado GO - Centra Brasil Central
  • Sicredi Ouro Verde MT - Central Centro Norte
  • Sicredi Sudeste MT/PA - Central Centro Norte

Sistema OCB destaca inovação e representatividade em Tocantins

A capital do Tocantins, Palmas, foi palco de dois eventos, realizados na sexta-feira (17), que buscaram consolidar a força do cooperativismo no estado: o 17º Encontro Tocantinense de Cooperativismo e o 15º Encontro de Mulheres Coops. A gerente-geral do Sistema OCB, Fabíola Nader Motta, esteve presente em ambos e abordou as tendências do cooperativismo, bem como o papel das mulheres nesse contexto.

A celebração do movimento cooperativista de Tocantins adotou o lema Rumo ao 5.25.80, que reflete as metas do cooperativismo no estado: atingir 5 bilhões em faturamento, 25 mil cooperados e um índice de satisfação do cliente de 80% até 2027. A meta também faz referência ao Desafio BRC 1 TRi, estabelecido pelo Sistema OCB e encampado pelo estado para o alcance de 30 milhões de cooperados e R$ 1 trilhão em movimentação financeira até 2027 em nível nacional.

A programação do evento incluiu debates sobre o futuro do coop no estado, além da consolidação e articulação dos planos de trabalho para 2024. Fabíola apresentou a palestra Tendências do cooperativismo e a atuação do Sistema OCB. Ela falou sobre as soluções oferecidas pela entidade, com o intuito de colaborar com o desenvolvimento das cooperativas brasileiras.

"Nossas marcas buscam dar apoio e suporte para facilitar o progresso e prosperidade das coops. Temos o Negócioscoop, o Capacitacoop e o Inovacoop, entre outras iniciativas que funcionam como um alicerce para o movimento. Também produzimos estudos e publicações para que as nossas cooperativas possam compreender cada vez mais o ambiente de mercado em que estão inseridas", explicou.

Fabíola também evidenciou a importância da representação institucional feita pelo Sistema OCB dentro do Congresso Nacional. "Mantemos um relacionamento próximo com autoridades, senadores e deputados para que possamos atuar em prol do cooperativismo. Buscamos regulamentar, alterar e elaborar políticas públicas que afetem positivamente o movimento", complementou.

Ricardo Khouri, presidente do Sistema OCB/TO, destacou que o encontro buscou fortalecer laços e promover a troca de experiências. “Nosso objetivo não é apenas discutir metas, mas também consolidar estratégias que nos conduzirão a um futuro ainda mais próspero”, reiterou.

Força feminina

Por sua vez, a cerimônia de mulheres, aconteceu com o intuito de promover e fortalecer a participação de mulheres engajadas no impulsionamento do cenário cooperativista. Palestras sobre o papel feminino nas cooperativas, discussões sobre ESG Coop, apresentação de cases inspiradores do Comitê Estadual Elas pelo Coop e a elaboração de diretrizes para a implantação de comitês nas cooperativas do Tocantins foram alguns dos destaques da programação.

Maria José Oliveira, superintendente do Sistema OCB/TO, destacou que o encontro foi uma maneira de inspirar, capacitar e reconhecer o papel fundamental das mulheres no cooperativismo. "O evento é um espaço valioso para a troca de experiências, aprendizado e construção coletiva de estratégias para fortalecer a representatividade e influência feminina nas cooperativas do estado", disse.

Fabíola apresentou a palestra Mulheres no Coop e ressaltou a força da liderança e competência das mulheres. "Nós mulheres somos uma força vital dentro de nossas cooperativas e trazemos uma perspectiva enriquecedora para o movimento. Tenho certeza que inspiramos e contribuimos para a construção de um setor mais inovador e sustentável. A força feminina colabora para um cooperativismo mais robusto e equitativo", afirmou.

Cooperativas de crédito concorrem à prêmio de inovação

Faltam 3 dias para a premiação do Reconhecimento Inovação com Propósito (Recip). O prêmio vai ser entregue para as cooperativas de crédito que se destacam no quesito de inovar em prol da sociedade e sua comunidade. O evento acontecerá no dia 13 de novembro, no Banco Central, em Brasília e as inscrições para acompanhar a transmissão on-line estão abertas.

Durante o evento, acontece o lançamento do Panorama Nacional de Inovação com Propósito no Cooperativismo Financeiro 2022. O documento é a consolidação do Recip 2022 e reconhece a capacidade da gestão de inovação com propósito das cooperativas de crédito no Brasil. O compilado avalia os aspectos financeiros, bem como o impacto social e ambiental dessas instituições.

Para o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, a Casa do Cooperativismo possui a obrigação de fortalecer a iniciativa do prêmio. "É uma atividade positiva, o cooperativismo se faz com gente. Cooperativas são organizações de pessoas. É gente trabalhando pra gente! Inovação não é só sobre uma plataforma eletrônicá, a social também é fundamental", disse.

O propósito é divulgar o valor do cooperativismo financeiro para a sociedade brasileira e ampliar a capacidade de gestão e inovação das cooperativas do segmento. A premiação funciona como uma ferramenta que orienta o setor em direção a uma expansão contínua, enquanto mantém o compromisso com os princípios do cooperativismo.

Para este ano, a edição será focada nas questões ESG e Finanças Verdes. O Recip 2023 vai reconhecer e avaliar as ações das cooperativas financeiras no que diz respeito à sustentabilidade e à economia sustentável.

Sistema OCB participa de seminário sobre Inteligência Artificial

O Sistema OCB foi convidado para participar do Seminário Internacional promovido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sobre O Impacto da Inteligência Artificial no Brasil, realizado nesta terça-feira (21), no Rio de Janeiro. O evento reuniu especialistas para analisar os desafios e oportunidades relacionados às possibilidades de uso da Inteligência Artificial com enfoque nas áreas de educação, trabalho e economia.

A abertura  foi conduzida por Aloizio Mercadante, presidente do BNDES, que enfatizou a importância estratégica da discussão sobre o uso da Inteligência Artificial para o Brasil. "Estamos diante de uma nova revolução tecnológica e industrial. O Brasil tem grandes possibilidades nesse caminho, mas precisa se preparar para os desafios que andam junto com os avanços que essa revolução também oferece", afirmou.

O presidente ressaltou a visão prospectiva do Banco em relação à sua capacidade de antever as demandas futuras da economia brasileira e sugeriu que a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) em conjunto com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovacão Industrial (Embrapii) criem uma linha de financiamento para alavancar negócios na área de inteligência artifical. “Vou sugerir que a gente avalie a criação de uma linha de crédito de R$ 2 bilhões”, frisou.

Guilherme Souza Costa, gerente do Núcleo de Inteligência e Inovação, representou a Casa do Cooperativismo no seminário. Para ele, o evento trouxe para o centro das discussões a ruptura profunda que a IA vai promover nos negócios e na vida das pessoas nos próximos anos, sem deixar de se atentar para as oportunidades e ameaças que podem surgir do seu uso indiscriminado, como a segurança da informação, as fake news e a discriminação algoritímica. "Durante o evento, foi proposto o início de uma rede de instituições brasileiras para discutir o tema e o Sistema OCB certamente participará ativamente, levando os pleitos do movimento e compartilhando os avanços com as nossas cooperativas", disse.

Por sua vez, o gerente de Cognição e IA do Sicredi, Daniel Güths, também presente ao evento, considerou a temática relevante para colaborar com o trabalho das cooperativas de crédito na ampliação de possibilidades para seus cooperados. "O Sicredi considera o tema Inteligência Artificial e seus impactos muito importantes, sobretudo porque acredita que esta tecnologia terá papel significativo no propósito das cooperativas de crédito de continuar desenvolvendo comunidades onde atua de forma sustentável", declarou.

O evento apresentou painéis a respeito de ameaças e oportunidades da inteligência artificial, além dos impactos que poderão acontecer no emprego e na economia como consequência do seu uso no dia a dia. Autoridades como Helena Tenório, diretora do BNDES; Rafael Lucchesi, presidente do SESI; e Aroldo Cedraz, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) participaram das apresentações.

CapacitaCoop oferece trilha de aprendizagem em Design Thinking

 

A metodologia de solução de problemas complexos mais utilizada na atualidade em processos de inovação de produtos e serviços, Design Thinking já está disponível na plataforma CapacitaCoop. A trilha de aprendizagem é direcionada às cooperativas e Organizações Estaduais do Sistema OCB para que possam percorrer uma jornada de conhecimento com foco nas diferentes etapas do método.

Com abordagem didática, conteúdo conceitual e prático, e rigor na utilização de fontes de referência científica, a trilha é gratuita e o aluno receberá o certificado assim que concluir o aprendizado (aulas, avaliação de aprendizagem e avaliação de reação). 

A trilha está dividida em seis etapas com os cursos de Introdução ao Design Thinking; Entendimento & Empatia aplicados ao Design Thinking; Definição Aplicada ao Design Thinking; Ideação; Prototipagem; e Teste Aplicado ao Design Thinking.

O aluno certificado terá, ao final da trilha, aprendido sobre a cultura de criação de valor, criatividade, práticas de empatia junto ao usuário, análise de soluções, geração de ideias e utilização de inovação na solução de problemas complexos.

Para cursar basta ter acesso à internet e acessar as aulas pelo computador, celular ou tablet.

 

Sicoob Credijustra inaugura agência em espaço coworking de Goiânia

A Sicoob Credijustra inaugurou em Goiânia a sua mais nova agência de atendimento ao público. O espaço é o 13º ambiente físico da cooperativa e está instalado em um coworking localizado no Setor Oeste da capital goiana que, diariamente, incentiva o empreendedorismo, a criatividade, a inovação e a colaboração. O objetivo da cooperativa é, além de ofertar no local produtos e serviços financeiros de qualidade, proporcionar uma nova experiência a seus cooperados.

Presidente da Sicoob Credijustra e vice-presidente do Sistema OCDF-SESCOOP/DF, Alexandre Machado assegura que a inauguração da agência é de extrema importância para o crescimento da cooperativa, já que a organização tem planos para desenvolver diversas ações dentro no novo espaço. “Mais do que ter uma agência, um novo espaço físico, essa iniciativa é o começo de um processo que irá estimular a geração de negócios, oferecer vantagens e melhores experiências para quem já é nosso cooperado e vislumbrar a associação daqueles que diariamente frequentam o coworking”, afirma.

Graças à parceria, a agência conta com auditório e salas de reuniões, além de outras estruturas que um espaço coworking pode oferecer para impulsionar a criatividade, a conexão entre pessoas e a geração de novos negócios.

Alexandre conta, ainda, que a ideia de abrir um espaço em Goiânia é fruto das melhorias de gestão que estão cada vez mais evidentes dentro da estrutura da cooperativa. “Nós estamos conseguindo mudar de nível com a participação contínua no PDGC (Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas) e com isso surgem novas demandas.  Com o crescimento da cooperativa, vem a necessidade de expansão e a projeção de um número mínimo de associados por unidade da federação que, quando alcançado, configura para nós que é possível a abertura de uma agência física”, acrescenta.

O objetivo da cooperativa é continuar expandindo a sua atuação em parceria com espaços coworking e também com outras entidades. A diretoria da organização acredita que, adotando estratégias nesse sentido, conseguirá manter atendimentos físicos e também digitais. O relacionamento da cooperativa tem tido aumento expressivo nos últimos anos, sobretudo em plataformas digitais, alcançando cerca de 9 mil cooperados a cada mês do último ano.

Um acordo para a inauguração de um ambiente semelhante em Brasília já está sendo colocado em prática e a inauguração ocorrerá já nos próximos meses.

A Sicoob Credijustra

A Sicoob Credijustra é a cooperativa de crédito que nasceu no Judiciário Trabalhista. Além de atender órgãos da Justiça do Trabalho e do Ministério Público do Trabalho no território nacional, é responsável por atender aos órgãos do Poder Judiciário Federal e do Ministério Público da União no Estado de Santa Catarina. Em 2019, a cooperativa passou a ser de livre admissão nos estados do Pará; Distrito Federal; municípios no Estado de Goiás e alguns municípios no Estado de Minas Gerais.

Onde é a agência?

A nova unidade da cooperativa é uma parceria com o Stay Coworking e está localizada na Rua 22, número 431, Setor Oeste, Goiânia (GO).

 

 

 

 

Sistema OCB comemora conquistas alcançadas em 2022

 

O ano de 2022 foi bastante produtivo e recheado de resultados positivos para as cooperativas, cooperados e colaborares do movimento. A participação em temas estratégicos tanto na política como nas relações institucionais no Brasil e no mundo acarretou novos negócios, produtos e serviços ofertados, melhorando o desempenho econômico e social do país.

Entre os principais destaques está o aumento do número de cooperados, que atingiu 18,8 milhões pessoas e já representa quase 8#$-$#da população brasileira, segundo dados do AnuárioCoop 2022. O número é 10#$-$#superior ao de 2020, quando foram registrados mais de 17 milhões de cooperados no país. O total de cooperativas subiu para 4.880. Outro dado importante é que a participação feminina em cargos de liderança passou de 17#$-$#para 20-.

A Casa do Cooperativismo também contribuiu significativamente para a construção de políticas públicas relevantes como o Projeto de Lei Complementar (PLP 27/20), que se transformou na Lei Complementar 196/22 e modernizou a legislação que rege a atuação das cooperativas de crédito, e a elaboração do Plano Safra 22/23, que destinou o montante de R$ 340,88 bilhões em financiamentos para apoiar o agro nacional, um aumento de 36#$-$#em relação ao ano anterior.

Além disso, o adequado tratamento tributário ao ato cooperativo foi um dos principais pontos de debate da Reforma Tributária (PEC 110/2019), que continua em tramitação no Congresso Nacional e representa uma das demandas primordiais do movimento para manter sua competividade.

Institucionalmente, também foram promovidos diversos eventos como, por exemplo, a Semana de Competitividade, o lançamento da Agenda Institucional do Cooperativismo, o Dia C, a entrega do Prêmio SomosCoop Melhores do Ano, entre outros.

Para complementar, as publicações técnicas, jurídicas, e-books, boletins com estudos e tendências, bem como radar de boas práticas, foram outras atividades importantes para fortalecer o movimento ao longo do ano.  Os cursos de capacitação presenciais e em EAD integraram a pauta de formação e, permitiram, inclusive, que outros países fossem ajudados com as técnicas e táticas do coop brasileiro, em especial, nos ramos Agro e Crédito.

“Tivemos tantas vitórias, que temos certeza de que estamos no caminho certo. Os resultados deste ano expressam quão sólida é a base do nosso movimento e o quanto o nosso modelo de negócios tem sido cada vez mais acessado pela população. Mesmo diante de uma crise sanitária mundial criamos oportunidades, inovamos e nos fortalecemos. Está claro que somos essenciais para a retomada da economia brasileira, mas sobretudo, para levar prosperidade para o Brasil e para o mundo”, destaca o presidente, Marcio Lopes de Freitas.

Ele também agradeceu a cada cooperativa, cooperado e colaborador que atua em prol das ações e atividades do cooperativismo e renovou o desejo para que, juntos, seja possível continuar essa jornada por um mundo mais justo, equilibrado e feliz para todos.

O cooperativismo tem em sua natureza, o desafio de pensar o futuro a partir de perspectivas que contribuam para consolidar cada vez mais uma economia social, centrada no bem-estar da sociedade e no desenvolvimento sustentável. Acreditamos na prosperidade. E isso não significa apenas gerar riqueza. É muito mais. É um conjunto de boas práticas que transborda e derrama valores por onde passa e transforma a vida das pessoas”, complementou. 

Representação Internacional

Em âmbito internacional, o presidente Marcio Lopes de Freitas foi eleito, em junho, por maioria expressiva para compor o Conselho de Administração da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), órgão máximo do movimento em todo o mundo. A presença dele garantirá, entre outras possibilidades, acesso a novos mercados para o coop brasileiro. Atualmente, produtos de 508 cooperativas estão nas prateleiras dos mais diversos países. “Estamos trabalhando para fortalecer a cultura da cooperação e garantir mais legitimidade, maior representatividade e interlocução mais direta entre os países membros da ACI”, destacou o presidente.

A Aliança Cooperativa Internacional (ACI) tem 126 anos de existência e é uma organização não-governamental independente que reúne, representa e atende organizações cooperativas em todo o mundo. É a voz mundial das cooperativas e trabalha com governos e organizações globais e regionais para criar ambientes legislativos que possibilitem a formação e o crescimento das cooperativas. O Sistema OCB é filiado a ela desde 1989 e o primeiro presidente não europeu foi o cooperativista brasileiro Roberto Rodrigues.

Inovação

De acordo com dados do Sistema OCB, oito em cada dez cooperativas consideram a inovação fundamental e estratégica para aprimorar sua atuação nos mais variados ramos do coop. Para apresentar as principais tendências da atualidade, a entidade publicou, em abril, o livro Inovação no Cooperativismo: Um guia descomplicado para quem deseja inovar mais e melhor no universo coop.

A publicação oferece ao leitor uma experiência singular: a personagem Eliza, em homenagem à única mulher entre o grupo de fundadores do cooperativismo, Eliza Brierley. Por meio de QR Code, ela guia o leitor e conecta o texto impresso com a realidade aumentada. Na abertura de cada capítulo, Eliza se projeta nas telas dos smartphones e fala com o leitor.

 Outros e-books também foram publicados pelo Sistema OCB ao longo do ano para auxiliar as coops a inovarem, planejarem e otimizarem suas atividades. O Programa Conexão com Startups, por exemplo, foi transformado em livro digital para auxiliar e complementar as lacunas existentes dentro do ambiente cooperativista, especialmente com as oportunidades de investimento de recursos em temáticas de inovação e tecnologia.

Pesquisa

Em maio, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lançaram edital voltado às pesquisas científicas sobre o cooperativismo. O edital recebeu 131 projetos e selecionou 44. Com fomento de R$ 4 milhões, os pesquisadores podem custear bolsas, passagens, hospedagens, participação em congressos e até comprar equipamentos e materiais para execução do estudo.

A parceria entre o Sescoop e o CNPq teve início em 2017, quando foi assinado o Acordo de Cooperação Técnica e Financeira para a operacionalização de chamadas públicas para financiamento de projetos de pesquisa científica. O primeiro edital, em 2018, recebeu 374 inscrições. Foram contemplados 41 projetos, de 14 estados diferentes, com recursos que somaram R$ 2,8 milhões, repassados às universidades e institutos de pesquisa.

Ações sociais

O primeiro sábado de julho é marcado, anualmente, pelo Dia de Cooperar ou Dia C. Neste ano, a data foi celebrada com entusiasmo pelas Organizações Estaduais que compõem o Sistema OCB. Após dois anos da crise sanitária internacional da Covid-19, o evento voltou a contar com atividades presenciais e programação diversificada. Foram mais de 14 mil iniciativas que beneficiaram quase 25 milhões de pessoas.

Competitividade

Durante a Semana de Competitividade do Cooperativismo, evento realizado em agosto no formato híbrido (presencial e online), mais de 600 cooperativistas estiveram em Brasília para aprimorar seus conhecimentos sobre inovação, gestão e governança, além de divulgar seus produtos e serviços. Os comitês de jovens e mulheres, Geração C e Elas Pelo Coop, marcaram presença e tiveram a oportunidade de apresentar o Manifesto Coop, em defesa do movimento, para um auditório lotado.

O desafio BRC R$ 1 Tri de Prosperidade e o Programa ESGCoop também foram lançados durante o evento. O BRC tem por objetivo aumentar, até 2027, a movimentação financeira do coop para R$ 1 trilhão e o número de cooperados para 30 milhões. Já o ESGCoop pretende promover as estratégias de governança, respeito ambiental e cuidado social com indicadores do que comprovem as atividades nesse sentido já desenvolvidas e coordenadas pelo cooperativismo.

SomosCoop

Criado para difundir ainda mais o cooperativismo para a sociedade, o movimento SomosCoop, desenvolveu inúmeras estratégias durante o ano, como campanha publicitária com Guga Kuerten e o lançamento da primeira temporada da websérie SomosCoop na Estrada. Sob o comando da jornalista Glenda Kozlowski. Ela percorre todo o país para mostrar o dia a dia das cooperativas de forma descontraída, outra iniciativa importante para a divulgação dos benefícios que o cooperativismo oferece para a sociedade. Os dez episódios que contemplam todos os ramos do coop, conquistou adeptos em todo o Brasil.

Mundo

Missões Internacionais marcaram significativamente as atividades do Sistema OCB durante todo o ano. Além de recepcionar embaixadores, autoridades e dirigentes de outros países, a equipe técnica da Casa do Cooperativismo participou de inúmeros eventos e ofertou, inclusive, capacitação para cooperados de outras nações.

Um dos destaques da atuação da entidade foi a participação da superintendente e da gerente de Relações Institucionais, Tania Zanella e Clara Maffia, no Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (Woccu), na Escócia. O Conselho engloba 86.451 cooperativas de crédito em 118 países, que atendem 375 milhões de pessoas e já implementou mais de 300 programas de assistência técnica em 90 países.

Outro destaque foi a participação das cooperativas de Cafeicultores e Agropecuaristas (Cocapec) e Prata da Cuesta Sustentavel (Coopercuesta) na feira de agronegócios Thaifex Anuga 2022, na Tailândia, o que representou um importante reconhecimento internacional dos produtos coop. A Thaifex atrai milhares de expositores e visitantes de todo o mundo e é considerada uma porta de entrada estratégica para negócios que visam capitalizar e crescer nos países do Sudeste Asiático.

Em Botsuana, na África, o Sistema OCB capacitou 26 representantes do governo local e da cooperativa de Kweneng Norte para fortalecimento do movimento no país. O foco do treinamento foi na área de contabilidade com explicações sobre demonstrações contábeis, balanço patrimonial e demonstrativo de resultados por exercício.

Além disso, a Reunião Especializada de Cooperativas do Mercosul (RECM), definiu o cronograma de trabalho para o próximo biênio (2023-2024) e ficou acordada a realização de missão internacional comercial conjunta à Ásia, com visitas à Singapura, Tailândia e Vietnã com o objetivo de impulsionar a exportação de produtos das coops do Mercosul: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Exportação

O convênio entre o Sistema OCB e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) avançou mais em 2022 com o Programa de Qualificação para Exportação direcionado ao coop, o Peiex-Coop. Cerca de 50 cooperativas com potencial de exportação, que atuam na produção de cafés especiais, frutas frescas, lácteos, meles e proteína animal, fazem parte dessa etapa do programa.

O Peiex permite que as coops iniciem seus processos de exportação de forma planejada e segura. Nos últimos quatro anos, a presença das cooperativas nas exportações brasileiras, independente do seu porte, tem se mantido estável. O objetivo é ampliar o número de coops exportadoras, bem como a atuação das que já acessam o mercado internacional.

Meio ambiente

O cooperativismo brasileiro foi convidado a integrar painel na 27ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, a COP27, para falar sobre a contribuição das cooperativas para o alcance das metas globais de sustentabilidade e de desenvolvimento social. A indicação das coops foi feita pelos ministérios do Meio Ambiente (MMA) e de Minas e Energia (MME). CCPR (MG), Coopercitrus (SP), Cocamar (PR) e Coplana (SP) apresentaram suas ações em defesa de um ambiente produtivo mais sustentável.  Na ocasião, o coop reafirmou seu compromisso com a sustentabilidade, por meio do Manifesto publicado no site https://cooperacaoambiental.coop.br/

Capacitação

A plataforma CapacitaCoop atingiu 100 cursos ofertados e mais de 32 mil alunos cadastrados. Criada em 2020 para efetivar o 5º princípio do cooperativismo, que tem foco na educação, formação e capacitação, a iniciativa vem se consolidando como a principal estrutura de ensino à distância do coop brasileiro. Atualmente, quase três mil cooperativas utilizam a plataforma para ampliar os conhecimentos de seus cooperados e funcionários.

Melhores do Ano

A 13ª edição do Prêmio SomosCoop Melhores do Ano bateu recorde de inscrições com a 787 projetos e 431 cooperativas participantes de todos os estados da Federação. Destes, 18 foram escolhidos como finalistas e participaram da cerimônia de entrega dos troféus. Já o Influenciador Coop foi escolhido por meio de votação popular. Além dos troféus, os primeiros colocados de cada categoria também receberam bolsas para intercâmbios internacionais. Os projetos vencedores emocionaram e demonstraram a diversidade e a abrangência do movimento em todo o Brasil.

 

CapacitaCoop fecha o ano com mais de 36 mil beneficiados

A CapacitaCoop, plataforma de aprendizagem do Sistema OCB, termina o ano de 2022 com números expressivos e com uma crescente contribuição para o avanço do cooperativismo em todo o território nacional. A solução foi criada em 2020 e, em dois anos, já alcançou o número de 103 cursos oferecidos e mais de 36 mil alunos cadastrados, se consolidando como a principal plataforma de ensino a distância do cooperativismo brasileiro. Apenas em 2022, no Distrito Federal, cerca de 660 pessoas foram beneficiadas pelos conteúdos oferecidos.

A plataforma foi idealizada no cerne do 5º princípio do cooperativismo, que tem foco na educação, formação, capacitação e atendeu exatas 2.934 cooperativas de todo o Brasil. Ao longo do último ano, o ambiente virtual evoluiu, tornando-se mais intuitivo, flexível, estável e com design moderno para melhor atender as necessidades das unidades estaduais do SESCOOP, cooperativas e toda comunidade interessada no universo cooperativista.

As mudanças realizadas permitem, por exemplo, que as unidades estaduais possam cadastrar, ofertar e gerenciar cursos on-line, utilizando ferramentas próprias da plataforma, tais como webconferência, fóruns de discussão, tira dúvidas, entre outras, além de emitir relatórios gerenciais, personalizar os certificados, matricular os alunos e prestar suporte técnico como alteração de senha.

A CapacitaCoop é gratuita e quem não é associado a uma cooperativa também pode participar dos cursos, além das Trilhas de Aprendizagem, que foram planejadas cuidadosamente para cada tipo de necessidade. A plataforma conta com diferenciais como vitrine de informações dos cursos e trilhas; biblioteca atualizada com materiais sobre o coop; integração com sistema de webconferência; aplicativo para acessar conteúdo dos cursos, mesmo que o aluno esteja off-line; suporte técnico gratuito, pelo número 0800 642 4025; cursos com tutores para tirar dúvidas; e gamificação, para que o aluno que avance em seus estudos acumule pontos e suba no ranking geral da plataforma.

A expectativa para 2023 é de ainda maior crescimento, com a disponibilização de novos cursos e trilhas de aprendizagem; mais recursos, como monitoria e tutoria, cursos por WhatsApp; novos materiais de consulta na biblioteca, entre outros.

Livro Inovação no Coop disponível em formato digital

O livro Inovação no cooperativismo — um guia descomplicado para quem deseja inovar mais e melhor no universo coop, já está disponível também em versão digital no site InovaCoop. A publicação, lançada em formato físico no início do ano, traz o que há de mais atual em estratégias e ferramentas para implementação de programas de inovação dentro das cooperativas. O e-book é mais uma ação de capacitação promovida pelo Sistema OCB.

“Este livro é fruto de um trabalho intenso focado em mostrar caminhos para que nossas atividades estejam sempre um passo à frente na missão de transformar o mundo em um lugar mais justo, equilibrado e com as melhores oportunidades para todos. Nossa história mostra que o cooperativismo sempre foi inovador. Esta publicação não é apenas uma fonte de consulta e de referência, mas um convite a assumirmos atitudes ousadas e inovadoras em nosso dia a dia. Agora, no formato digital, pode ser acessado mais rapidamente até mesmo no celular”, destaca o presidente Marcio Lopes de Freitas.

O livro, que amplia a visibilidade das boas práticas já desenvolvidas ou em andamento no coop, está dividido em seis partes que versam sobre a introdução ao tema, estratégias e metodologias e tendências de futuro. Cada capítulo traz ainda cases de sucessos e artigos assinados por especialistas no assunto como Martha Gabriel, Arthur Igreja, Jacson Fressatto, Samyra Ribeiro, Eduardo Damião e Mário De Conto. A publicação tem ainda um dicionário com os principais verbetes e conceitos relacionados ao coop.

“Inovar não significa criar sistemas totalmente novos, mas descobrir um jeito diferente de fazer as coisas, de forma mais simples e eficaz, com redução de custos e ganho de produtividade”, salienta o presidente.

CapacitaCoop oferta 100 cursos à distância

A CapacitaCoop, plataforma de aprendizagem do Sistema OCB, alcançou o número de 100 cursos à distância (EAD) ofertados na semana passada. Criada em 2020, a iniciativa vem se consolidando como a principal plataforma de ensino à distância do coop brasileiro, com mais de 32 mil alunos cadastrados desde seu lançamento.

Claudia Moreno, analista do Sistema OCB, atribui a alta adesão ao conteúdo robusto e ao design moderno e intuitivo, além da facilidade de acesso que pode ser realizado pelo computador, tablet ou celular. “Os recursos educacionais da CapacitaCoop materializam o 5º princípio do cooperativismo, que foca na educação, formação e informação de seus cooperados, ao promover a participação ativa do aluno em seu processo de aprendizagem”, diz.

Os diversificados cursos de gestão, finanças e tributação, comunicação, legislação, entre outros, representam mais uma conquista do coop brasileiro. A plataforma é um convite para cooperados, cidadãos comuns e alunos de países de língua portuguesa (Angola, Moçambique e Portugal) se capacitarem em diversos segmentos e receberem certificação.

Atualmente, quase 3 mil cooperativas utilizam a plataforma para ampliar os conhecimentos de seus cooperados e funcionários. Desde o lançamento, o índice de satisfação dos alunos é 9, em um total de 10.  

A CapacitaCoop é gratuita e quem não é ligado à uma cooperativa também pode fazer os cursos, além das Trilhas de Aprendizagem que foram planejadas cuidadosamente para cada tipo de necessidade. A plataforma conta com diferenciais como vitrine de informações dos cursos e trilhas; biblioteca atualizada com materiais sobre o coop; integração com sistema de web conferência; aplicativo para acessar conteúdo dos cursos, mesmo que o aluno esteja off-line; suporte técnico gratuito, pelo número 0800 642 4025; cursos com tutores para tirar dúvidas; e gameficação, para que o aluno que avance em seus estudos acumule pontos e suba no ranking geral da CapacitaCoop.

Até o final desde ano, serão lançados novos cursos que versam sobre Ética para as Cooperativas; Fundamentos de Marketing, Acesso a Crédito; Excelência no Atendimento a Clientes; Produtividade; Liderança; Comunicação; ESG; Vendas e Soft Skills. Será disponibilizada também uma trilha de aprendizagem voltada para pesquisadores do cooperativismo.

Acesse e comece a aprender agora mesmo: https://www.capacita.coop.br/  

 

Mapa publica portaria sobre registro de tratores que trafegam em vias públicas

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou, nesta quinta-feira (6), a Portaria 469/22, que prioriza os tratores e máquinas agrícolas, produzidos a partir de 2016, na obtenção do Registro Nacional de Tratores e Máquinas Agrícolas (Renagro). De acordo com a pasta, a prioridade tem por finalidade evitar acúmulo de solicitações.

O documento gratuito terá validade em todo o território nacional sem cobrança de taxa de licenciamento anual, ou necessidade de emplacamento. As solicitações podem ser efetuadas por meio da Plataforma Nacional de Registro e Gestão de Tratores e Equipamentos Agrícolas (IdAgro).

Números - De acordo com o Mapa, das 1,6 milhões de unidades de tratores e máquinas que transitam em via pública, 85 mil já foram cadastradas, sendo 80#$-$#de tratores e 20#$-$#de colheitadeiras. O registro para os tratores fabricados depois do ano de 2016 é obrigatório para aqueles que trafegam em vias públicas.

CapacitaCoop oferta 100 cursos à distância

CapacitaCoop, plataforma de aprendizagem do Sistema OCB, alcançou o número de 100 cursos à distância (EAD) ofertados nesta segunda-feira (3). Criada em 2020, a iniciativa vem se consolidando como a principal plataforma de ensino à distância do coop brasileiro, com mais de 32 mil alunos cadastrados desde seu lançamento.

Claudia Moreno, analista do Sistema OCB, atribui a alta adesão ao conteúdo robusto e ao design moderno e intuitivo, além da facilidade de acesso que pode ser realizado pelo computador, tablet ou celular. “Os recursos educacionais da CapacitaCoop materializam o 5º princípio do cooperativismo, que foca na educação, formação e informação de seus cooperados, ao promover a participação ativa do aluno em seu processo de aprendizagem”, diz.

Os diversificados cursos de gestão, finanças e tributação, comunicação, legislação, entre outros, representam mais uma conquista do coop brasileiro. A plataforma é um convite para cooperados, cidadãos comuns e alunos de países de língua portuguesa (Angola, Moçambique e Portugal) se capacitarem em diversos segmentos e receberem certificação.

Atualmente, quase 3 mil cooperativas utilizam a plataforma para ampliar os conhecimentos de seus cooperados e funcionários. Desde o lançamento, o índice de satisfação dos alunos é 9, em um total de 10.  

A CapacitaCoop é gratuita e quem não é ligado à uma cooperativa também pode fazer os cursos, além das Trilhas de Aprendizagem que foram planejadas cuidadosamente para cada tipo de necessidade. A plataforma conta com diferenciais como vitrine de informações dos cursos e trilhas; biblioteca atualizada com materiais sobre o coop; integração com sistema de web conferência; aplicativo para acessar conteúdo dos cursos, mesmo que o aluno esteja off-line; suporte técnico gratuito, pelo número 0800 642 4025; cursos com tutores para tirar dúvidas; e gameficação, para que o aluno que avance em seus estudos acumule pontos e suba no ranking geral da CapacitaCoop.

Até o final desde ano, serão lançados novos cursos que versam sobre Ética para as Cooperativas; Fundamentos de Marketing, Acesso a Crédito; Excelência no Atendimento a Clientes; Produtividade; Liderança; Comunicação; ESG; Vendas e Soft Skills. Será disponibilizada também uma trilha de aprendizagem voltada para pesquisadores do cooperativismo.

Acesse e comece a aprender agora mesmo: https://www.capacita.coop.br/  

Economia colaborativa e proteção social fazem parte do DNA cooperativista

As novas tendências do trabalho em rede, onde as pessoas estão cada vez mais inseridas, de forma horizontal, no centro da tomada de decisão dos negócios, são parte da essência do movimento cooperativista. Por meio do empreendedorismo e da autogestão, o modelo de negócios coop está alinhado aos anseios das novas gerações por uma economia colaborativa e compartilhada. E é sobre esse aspecto que o quarto eixo da publicação Propostas para um Brasil Mais Cooperativo, elaborado pelo Sistema OCB, apresenta sugestões para o desenvolvimento de projetos, ações e políticas públicas.

“Pensar em cooperativismo é refletir sobre novas formas de se trabalhar em rede, conectar pessoas que somam esforços e dividem resultados”, garante Márcio Lopes de Freitas, presidente do Sistema OCB. Ele sugere ao próximo governo a adoção de propostas de incentivo às cooperativas como opção viável e sustentável para que milhares de trabalhadores tenham melhores condições de inserirem seus produtos e serviços no mercado.

Neste sentido, espera-se do governo o reconhecimento do tratamento diferenciado, simplificado e favorecido para que cooperativas de pequeno porte possam ser, cada vez mais, ferramentas para a inserção de trabalhadores no mercado. Além disso, o Sistema OCB busca o reconhecimento da contribuição das cooperativas de trabalho como opção sustentável para milhares de trabalhadores brasileiros, a partir da devida regulamentação da Lei 12.690/2012, a Lei das Cooperativas de Trabalho.

Proteção Social e Empreendedorismo Coletivo

A publicação reforça que o cooperativismo é a melhor ferramenta para a inserção de trabalhadores no mercado. O potencial das cooperativas vai além de gerar emprego e renda, cria também oportunidades de organização e ganho de escala para profissionais autônomos. São sugeridas também a promoção de políticas públicas para inclusão financeira e produtiva de jovens, mulheres e negros no modelo de negócios cooperativista. “É do DNA do cooperativismo focar em seu trabalhador, em seu cooperado, sem discriminá-lo por seu gênero, classe, raça, ideologia ou religião”, afirma Márcio.

A estruturação de caminhoneiros autônomos em cooperativas é outra recomendação do Sistema OCB. Com uma política específica, os caminhoneiros poderão ter acesso a melhores condições de contrato, a insumos, ganho de renda e de escala em suas operações. Além disso, a publicação destaca a necessidade de se reconhecer o cooperativismo para a emancipação e inclusão produtiva de garimpeiros, catadores e outros categorias de empreendedores, que, sozinhos, possuem maior dificuldade para atuarem em suas ocupações.

Plataformas da economia colaborativa

O aperfeiçoamento de políticas para o modelo cooperativista permite incentivar e explorar as novas tendências globais de se trabalhar em rede e conectar pessoas e serviços. Seja em plataformas de compras coletivas, ou na oferta de serviços via aplicativos, a autogestão está presente no movimento. Para ampliar os programas já desenvolvidos pelo Sistema OCB, a publicação sugere a possibilidade de startups cooperativistas receberem incentivos de investidores anjo.

Os diferenciais das cooperativas de consumo estão na qualidade dos produtos e no preço justo, além da promoção de um comércio sustentável. Para isso, o movimento cooperativista defende o adequado tratamento tributário ao ato cooperativo, em tramitação na Câmara e no Senado em propostas que versam sobre a Reforma Tributária. O ato é a base para assegurar maior competitividade e justiça tributária para elas.

Em um mundo com grandes transformações tecnológicas e cada vez mais conectado, o cooperativismo possui um imenso potencial para organizar pessoas em plataformas e aplicativos, valorizando o seu trabalho e evitando que os resultados destas atividades sejam deslocados para poucos, em grandes centros urbanos, muitas vezes, em outros países. É a economia de propósito, em prol do desenvolvimento local e da atuação pela comunidade.

Capacitacoop oferece mais de 90 cursos gratuitos e on-line

Com um mercado cada vez mais competitivo e dinâmico é fundamental que as cooperativas capacitem os seus profissionais para oferecerem serviços e produtos de qualidade. Manter-se em um patamar de competitividade pode ser um dos grandes desafios para um negócio, por isso cursos e capacitações são tão importantes e podem ser decisivos para o sucesso de algumas iniciativas. 

Pensando nisso, a Organização das Cooperativas do Brasil – OCB desenvolveu a Capacitacoop. Uma plataforma de aprendizagem EaD que reúne mais de 90 cursos on-line, com certificado e gratuitos, além de ferramentas otimizadas e recursos diferenciados para facilitar a aprendizagem dos interessados.

Desenvolvido com base em experiências anteriores vivenciadas pelas unidades estaduais, a Capacitacoop reúne cursos e vídeos para aprendizagem dos mais diferentes temas e para os mais diversos públicos como liderança cooperativista, técnicas de design thinking, legislação, gestão, finanças e contabilidade e muito mais. Acesse aqui a lista dos cursos disponíveis.

A plataforma está de cara nova desde o dia 25 de julho. Além da interface diferenciada, novos cursos e trilhas de aprendizagem já estão disponíveis para acesso tanto de cooperados, quanto da população em geral.

Como acessar a plataforma

O interessado precisa entrar o site capacita.coop.br. e preencher um formulário de cadastro para ter acesso aos cursos. Em seguida, basta procurar o assunto de interesse e se inscrever para começar. Os certificados são emitidos após a conclusão dos módulos e ficam disponíveis no perfil do usuário.

Com um mercado cada vez mais competitivo e dinâmico é fundamental que as cooperativas capacitem os seus profissionais para oferecerem serviços e produtos de qualidade. Manter-se em um patamar de competitividade pode ser um dos grandes desafios para um negócio, por isso cursos e capacitações são tão importantes e podem ser decisivos para o sucesso de algumas iniciativas. 

Pensando nisso, a Organização das Cooperativas do Brasil – OCB desenvolveu a Capacitacoop. Uma plataforma de aprendizagem EaD que reúne mais de 90 cursos on-line, com certificado e gratuitos, além de ferramentas otimizadas e recursos diferenciados para facilitar a aprendizagem dos interessados.

Desenvolvido com base em experiências anteriores vivenciadas pelas unidades estaduais, a Capacitacoop reúne cursos e vídeos para aprendizagem dos mais diferentes temas e para os mais diversos públicos como liderança cooperativista, técnicas de design thinking, legislação, gestão, finanças e contabilidade e muito mais. Acesse aqui a lista dos cursos disponíveis.

A plataforma está de cara nova desde o dia 25 de julho. Além da interface diferenciada, novos cursos e trilhas de aprendizagem já estão disponíveis para acesso tanto de cooperados, quanto da população em geral.

Como acessar a plataforma

O interessado precisa entrar o site capacita.coop.br. e preencher um formulário de cadastro para ter acesso aos cursos. Em seguida, basta procurar o assunto de interesse e se inscrever para começar. Os certificados são emitidos após a conclusão dos módulos e ficam disponíveis no perfil do usuário.

Sistema OCB celebra os 120 anos do cooperativismo de crédito

Neste ano, o cooperativismo de crédito completa 120 anos de atuação e o Sistema OCB vem contribuindo expressivamente para o fortalecimento do seu modelo de negócios. Durante o 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo de Crédito (Concred), realizado entre os dias 10 e 12 de agosto, em Recife (PE), representantes da instituição palestraram sobre diferentes temas como os desafios jurídicos das coops financeiras, o fortalecimento da imagem do cooperativismo e a educação rumo à sociedade 5.0. O evento foi promovido pela Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras), que completa 35 anos de atuação em 2022.

 

O Sistema OCB Ceará marcou presença no evento, enviando representantes do Ramo Crédito no estado, ds cooperativas Sicoob Ceará, Sicredi Cariri, Sicredi Ceará e Sicred Cooperjuris. Além disso, a Analista de Desenvolvimento de Cooperativas, Sandra Costa, também representou a Unidade Estadual em Recife.

A superintendente Tânia Zanella mediou o painel Diversidade no Cooperativismo, que contou com a presença da head de Diversidade, Equidade e Inclusão na ThoughtWorks (consultoria global de tecnologia), Grazi Mendes; e da cofundadora da TransEmpregos, Maitê Schneider. Tânia instigou as palestrantes a falarem sobre os processos necessários para garantir diversidade e inclusão alinhadas à pauta Social, Ambiental e Governança (ESG).

Segundo explicou Tânia, a diversidade é o conjunto de características que nos tornam únicos. Já a inclusão, diz respeito às medidas práticas que transformam a cultura de uma organização. “Como diz a vice-presidente de inclusão da Netflix: diversidade é ser convidado para a festa, inclusão é ser tirado para dançar. Em um ambiente inclusivo as pessoas são esperadas e respeitadas. Um exemplo é uma mulher assumir um cargo executivo e no andar em que trabalha ter apenas banheiros masculinos. Neste contexto, uma mulher não era esperada, então não há inclusão”.

A superintendente trouxe dados do AnuárioCoop 2022, que apontam que, embora o gênero represente 43#$-$#do Ramo Crédito, somando todos os segmentos, as mulheres ocupam apenas 20#$-$#dos cargos de chefia. Ela explicou as medidas que o Sistema OCB vem tomando para aumentar os percentuais de diversidade e inclusão, como por exemplo, os cursos oferecidos na plataforma de aprendizagem CapacitaCoop e o Dia C em que as cooperativas promovem ações em benefício da comunidade, entre outros.

“Estimulamos ações pautadas nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Organização das Nações Unidas, com destaque aos que versam sobre igualdade de gênero e redução das desigualdades. Temos comitês de jovens e mulheres e planos de ação para prepará-los para assumir cargos de liderança. Promovemos o Programa FIC [Felicidade Interna do Cooperativismo], que visa o respeito às diversidades com cultura e trabalho. Temos também o nosso Programa de Desenvolvimento da Gestão Cooperativa (PDGC), que vem avaliando e reconhecendo boas práticas de inclusão e diversidade nas cooperativas”, detalhou.

Ainda segundo Tânia, na Semana de Competitividade, evento promovido pelo Sistema OCB que acontecerá entre os dias 22 e 26 de agosto, também haverá palestra sobre o tema e um laboratório de como implementar um programa de diversidade nas cooperativas. “Temos muito caminho a percorrer ainda, mas já estamos avançando significativamente”, avaliou.


Avanços e desafios jurídicos

A gerente Jurídica e o consultor tributário do Sistema OCB, Ana Paula Andrade Ramos e João Caetano Muzzi, expuseram no painel: Avanços e Desafios Jurídicos para as Cooperativas Financeiras na Sociedade 5.0. A mediação do debate ficou a cargo da especialista em Cooperativismo, Ronise Figueiredo.

Ana Paula propôs reflexões e provocou debate sobre a viabilidade e apoio à presença de cooperados em assembleias; os desafios do coop na reforma tributária com a inclusão do adequado tratamento tributário ao Ato Cooperativo; a recuperação judicial de cooperativas; e os avanços que serão promovidos após a sanção do Projeto de Lei Complementar 27/20, que moderniza o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), em especial, sobre a legislação e atualização de marcos legais.

“O cooperativismo, para além dos dados econômicos e financeiros, precisa medir, compilar e divulgar os ganhos sociais que produz aos cooperados e à localidade em que se insere. A possibilidade legislativa de uso do Fates [Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social] para ações voltadas à comunidade, avanço incluso no PLP 27, tem muito a contribuir”, disse a gerente.

João Muzzi tratou da digitalização, admissão de cooperados, da manutenção da essência do cooperativismo, e do olhar para o cooperado e para a comunidade. “Na sociedade 5.0 há uma aproximação evidente dos agentes de mercado com o indivíduo financeiro, com soluções cada vez mais individualizadas. Um dos desafios do cooperativismo será encurtar ainda mais esse espaço, orientado por seus valores, revisitando-os em toda sua amplitude”, defendeu.

SomosCoop

A Feira de Negócios Cooperativista contou com um estande do SomosCoop, o movimento criado para explicar o cooperativismo para a sociedade. Os visitantes puderam avaliar as características da cooperativa, por meio de um game desenvolvido para o evento, e concorreram a prêmios.

A gerente de comunicação do Sistema OCB, Samara Araujo, proferiu a palestra SomosCoop: fortalecendo a imagem do cooperativismo. “O Ramo Crédito é vasto, congrega o maior número de cooperativas e está presente mesmo em cidades afastadas. Eventos como este reforçam o quão importante é o movimento cooperativista e os valores e princípios que ele representa. Os impactos positivos na nossa sociedade estão presentes em todos os ramos do coop, mas precisamos ‘fazer mais barulho’ sobre nossa atuação para aumentarmos nosso reconhecimento.  Queremos ver mais pessoas escolhendo produtos e serviços coop e, sobretudo, que pratiquem e defendam este modelo de negócios tão próspero para todos”, destacou a gerente.

Educação e a Sociedade 5.0

O coordenador de Desenvolvimento Social de Cooperativas, Guilherme Costa, abordou o tema Educação Rumo à Sociedade 5.0. De acordo com ele, a Sociedade 5.0 tem como foco as necessidades humanas, ambientais, o bem-estar da sociedade e sua comunidade. Envolve também, o desenvolvimento tecnológico, automação, inteligência artificial, e outros.

Estas questões, segundo Guilherme, corroboram com a economia colaborativa, que está presente no modelo de negócios cooperativista desde sua criação, há dois séculos.  “Sabemos que são muitos os desafios para as próximas décadas, entre eles, a formação profissional atrelada à velocidade das novas demandas”, ressaltou.

Ele considera que, dentro desse recorte, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) assume seu compromisso com a formação profissional voltada para as cooperativas brasileiras e vem se consolidando como referência nacional para o desenvolvimento de produtos educacionais para as cooperativas, na modalidade à distância.

“Na mesma linha, a CapacitaCoop vem se consagrando como a plataforma de ensino à distância. Quando foi lançada, em 2020, contava com seis curso e hoje já são 90 títulos, biblioteca, publicações de interesse das coops e dos cooperados. Todo o aprendizado conta com legendas, Língua Brasileira de Sinais (Libras) e recursos próprios de acessibilidade.  Agora, em 2022, já temos quase 30 mil usuários, milhares de matrículas e quase 20 mil alunos já concluíram algum curso da plataforma”, enalteceu o coordenador.

imagem site coop

Hackacoop: inscrições para a edição 2022 ficam abertas até 4 de agosto

Estão abertas até o dia 4 de agosto as inscrições para a segunda edição do Hackacoop, o hackathon promovido pelo Sistema OCDF-SESCOOP/DF, em parceria com o Núcleo de Gerenciamento de Projetos para Empresas Juniores (GPjr).

Este ano, o evento tem como objetivo estimular a busca por soluções em inovação, mercado e negócios que auxiliem no desenvolvimento do cooperativismo. Promover a intercooperação e fomentar o surgimento de novas lideranças para a promoção de ambientes internos mais bem estruturados também é uma das finalidades.

O hackathon será realizado de forma totalmente virtual ao longo de 10 dias. Para isso, serão aceitos 10 times, com cinco integrantes cada, entre cooperados ou colaboradores de cooperativas do Brasil e também das unidades estaduais do SESCOOP.

A abertura das atividades está prevista para o dia 9 de agosto, a partir das 9h, enquanto que o encerramento e a entrega da premiação ocorrerá no dia 19. Ao longo desse período, os times participarão de webinars diariamente, acessando conteúdos diversos para ampliarem suas competências, além de receberem mentorias em assuntos técnicos referentes à problemática, bem como aqueles relacionados a assuntos gerenciais para a construção das soluções.

Os três times mais bem posicionados durante e após a avaliação dos jurados irão receber prêmios em dinheiro, além de certificados de participação e brindes especiais. O primeiro colocado receberá o valor de R$ 5.000,00, o segundo R$ 3.000,00 e o terceiro R$ 1.500,00, sendo estes valores globais que devem ser compartilhados entre os membros.

As inscrições podem ser feitas em pouco cliques no site do SESCOOP/DF.

Para conferir o edital, acesse www.hackacoop.com

Hackathon

Os hackatons são encontros promovidos com a finalidade de, em um curto período de tempo, estimular os participantes a criar soluções inovadoras para algum problema específico.  Esse tipo de evento tem se mostrado benéfico tanto para startups de base tecnológica, quanto para empresas e outras organizações que estão em busca de inovação, já que auxilia na resolução de problemas por meio de tecnologia.

 

 

 

Artigo : Desafios das mudanças nas organizações cooperativas

Estamos em meio a um turbilhão de informações que nos chegam todos os dias dando conta das profundas mudanças que estão acontecendo no mundo. Transformação digital, era do conhecimento, mundo VUCA e mundo BANI, indústria e liderança 4.0, internet das coisas, inteligência artificial, ESG, business intelligence, ufa...! Não dá tempo nem de respirar e já chega mais uma informação dizendo que outras mudanças estão vindo   e irão impactar o ambiente das nossas organizações, cooperativas e empresas.

Insanidade pensar que podemos estar antenados em tudo que acontece no mundo empresarial, organizacional, político e tecnológico e preparados para lidar com todos os desafios que nos são apresentados cotidianamente, mas também não podemos simplesmente nos mantermos alienados sobre o que acontece.

Mas, então, o que os líderes cooperativistas, em meio a esse turbilhão de informações, precisam considerar como prioridade para tocar os negócios das cooperativas, conduzir as suas equipes, navegar no ambiente revolto das relações políticas e institucionais?

Já participei de inúmeros eventos, nacionais e internacionais, que tratam de questões voltadas aos processos de governança, gestão, liderança, inovação, tecnologia, futurologia, perspectivas, desafios, cenários e assim por diante. Na esteira dessas problemáticas diversas soluções são apresentadas. No entanto, muitas das milagrosas soluções não são aplicáveis, por sua natureza ou custo, ou não produzem resultados.

Isso não quer dizer que temos que abandonar as teorias e previsões e nos voltarmos somente para os problemas do dia a dia; pelo contrário, devemos estar atentos ao que acontece fora dos nossos muros, considerando que os conceitos, abordagens, lições, insights, modelos... nos permitem ter uma bagagem importante para enfrentarmos os desafios impostos.

Precisamos, no entanto, filtrar o volume de informações e propostas para não ficarmos perdidos nesse emaranhado de ideias e metodologias, e ter a capacidade de entender a sua aplicabilidade, o que está mais próximo e o que está distante da nossa realidade. Fácil? Talvez não!

Considerando o nosso modelo de negócios cooperativo e suas particularidades, acredito que podemos estabelecer uma linha mestra que define os principais pontos de atenção para se implementar processos de governança e gestão que proporcionem sustentabilidade aos negócios e a maximização dos resultados aos associados.

Podemos começar pela razão principal da existência da cooperativa: o associado. Conhecer, interagir, saber das suas dores e alegrias é fundamental para um relacionamento que atenda aos seus interesses e fidelize as suas operações. Alguns dirigentes têm receio de estabelecer essa relação de mão dupla e tomam decisões que, algumas vezes, estão distantes dos anseios do quadro social.

Essa prática no médio e longo prazos pode fragilizar o vínculo entre o associado e a cooperativa, resultando em uma falta de identidade e volatilidade nas relações que motivaram o seu ingresso na cooperativa.

Outro ponto fundamental que compõe a linha mestra está na equipe de empregados das cooperativas. Eles, além de possuírem os conhecimentos e as habilidades necessárias para o desempenho das funções, devem estar conectados com os valores e princípios inerentes ao modelo cooperativo. Conhecer a essência do cooperativismo e entender o que faz a diferença na comparação com outros modelos de negócios é fundamental na percepção e envolvimento da equipe para a geração de valor aos associados e à sociedade.

O negócio da cooperativa é mais um ponto relevante a ser considerado nessa linha mestra. Nos mais diversos segmentos em que as cooperativas estão presentes existem inúmeras variáveis que interferem no seu sucesso ou no seu fracasso. Conhecer as particularidades do negócio e saber quais as melhores decisões a serem tomadas não é para amadores. E, nesse sentido, as cooperativas devem separar a governança da gestão. Os negócios devem ser conduzidos por profissionais qualificados, que serão cobrados pela governança, a apresentar os resultados propostos. Uma das mais importantes qualidades do dirigente cooperativista é selecionar a melhor equipe que irá gerir os negócios da cooperativa.

E para colocar tudo isso em prática o dirigente, pela posição estratégica que ocupa na cooperativa, não pode estar alheio ao que acontece no mundo, principalmente com relação às constantes mudanças. Dessa forma, quando nos referimos à enxurrada de informações, planos, metodologias, procedimentos que nos são oferecidos, como salvadores da pátria, é necessário ter a clarividência de entender e aplicar o que mais se adequa a realidade.

Remy Gorga Neto

Presidente do Sistema OCDF-SESCOOP/DF

 

imagem site coop

“Estamos de volta” – AgroBrasília 2022 retoma formato presencial

Por Dâmares Vaz

“Estamos de volta”, anuncia a Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), ao retomar em 2022 a realização da AgroBrasília em formato presencial, que ocorrerá de 17 a 21 de maio no Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, no PAD-DF, a cerca de 70 km do aeroporto de Brasília. Realizada pela última vez de maneira totalmente digital, em 2020, a Feira incorpora nesta edição soluções adotadas na última, em razão da pandemia de covid-19, como a promoção de eventos técnicos online, a exemplo de seminários, cursos e palestras.

No parque, que recebeu melhorias na infraestrutura, o produtor encontra os melhores produtos, serviços e tecnologias, em setores como o de máquinas, implementos agrícolas, insumos, veículos, biotecnologia, genética animal e vegetal, agricultura familiar, além da presença de instituições formadoras e de pesquisa do agro. Tudo com a marca da inovação que a Feira sempre ofereceu e fiel ao objetivo de ser vitrine da riqueza e da diversidade da agricultura do Planalto Central.

Quanto aos eventos técnicos, o compromisso é o de manter a qualidade do conhecimento transmitido. Essa é uma das áreas em que a AgroBrasília é referência. Haverá, por exemplo, fórum sobre soja, seminário de vitivinicultura, seminário de mulheres do agro, iniciativas voltadas à pecuária.

O presidente da AgroBrasília, Ronaldo Triacca, lembra que a Feira, além de ser espaço para fechar negócios e ampliar conhecimento, cumpre a função de fortalecer a interação entre os vários segmentos do agro. E ele acredita que o evento ocorre em boa hora: “A pandemia dá sinais de enfraquecimento e os protocolos de saúde pública estão se adequando aos números decrescentes de casos. Então, a nossa expectativa para a realização da Feira é a melhor possível, ainda mais depois de dois anos sem o evento no formato tradicional”, afirma. Em 2020, a AgroBrasília foi integralmente digital e, em 2021, a organização optou pelo cancelamento, por causa da situação da pandemia no País.

Triacca registra ainda que a maioria dos espaços da Feira está comercializada e espera que esta edição bata os recordes de negócios e de público. “Produtores, consultores, estudantes, empresários rurais, enfim, todos os que estão com saudade das feiras do agro, estão convidados a marcar presença na AgroBrasília. O que também vai contribuir para uma feira com novos recordes é o preço atual das commodities, que gera maior renda ao produtor e o incentiva a investir ainda mais na atividade. O resultado é que a retomada das feiras vai impulsionar o setor ainda mais”, avalia Triacca.

 

Em 2020, a AgroBrasília Digital registrou o volume de R$ 590 milhões em negócios realizados. A Feira ocorreu em julho daquele ano, por meio de plataforma eletrônica virtual e online. Cerca de 140 empresas e instituições apresentaram tecnologias para a atividade agropecuária, sob a forma de produtos e serviços variados. A plataforma teve mais de 126 mil acessos.

Em 2019, os negócios fechados no evento ultrapassaram a marca de R$ 1,2 bilhão. A Feira reuniu quase 500 expositores e atraiu um público de 120 mil pessoas ao Parque Ivaldo Cenci.

A AgroBrasília é realizada com o apoio da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri-DF), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF) e da Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF).

Acesso facilitado

A Feira ocorre numa das mais importantes regiões rurais do Distrito Federal, o PAD-DF.  Com 500 mil m², o Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, que sedia a AgroBrasília, fica no Km 5 da BR-251, sentido Brasília-DF/Unaí-MG. Tem acesso facilitado, com estradas bem pavimentadas, boa localização, a cerca de uma hora do Plano Piloto. Também tem à disposição, ao lado do Parque pista de pouso homologada pela ANAC.

A infraestrutura conta com áreas para campos demonstrativos, áreas gramadas para máquinas, equipamentos e animais, pavilhões para montagem de estandes, auditórios para cursos e palestras, amplo estacionamento, áreas de descanso, transportes internos, dois restaurantes, posto de saúde e cinco conjuntos de sanitários.

Informações para a imprensa

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefones (61) 3039-1258

Ricardo Araújo: (61)9-8347-2500

Lydia Costa: (61) 9-8432-1328

Paulo Henrique Navarro: (61) 9-9253-3075

 

CapacitaCoop atinge mais de 25 mil alunos

A consolidação do sucesso da CapacitaCoop, plataforma de aprendizagem do cooperativismo brasileiro, que está prestes a comemorar dois anos de existência, é atribuída à profundidade dos conteúdos ofertados e ao método aplicado. Lançada em abril de 2020, inicialmente a ferramenta de ensino à distância disponibilizava seis cursos. Atualmente, a plataforma idealizada pelo Sistema OCB já conta com mais de 60 diferentes opções de aprendizagem oferecidas aos mais de 25 mil alunos cadastrados. 

"Já utilizamos alguns dos cursos disponíveis na plataforma para compor o programa de aprendizagem dos nossos profissionais. Eles contam com linguagem acessível e contemporânea, com instrutores competentes e ainda são gratuitos. Esta plataforma complementa nossas ações. Desejo que mais gestores possam utilizá-la”, afirma Sandra Helena Rosa Kwak, superintendente de Pessoas e Responsabilidade Social do Sicoob Espírito Santo (Confira vídeo).   

A CapacitaCoop materializa o quinto princípio do cooperativismo, que foca na educação e formação de seus cooperados. “Essa ferramenta foi criada em meio a um momento de muitas incertezas geradas pela pandemia da Covid-19, mas seu sucesso já está mais que consolidado. Os números são expressivos e temos que destacar também a efetividade do conteúdo oferecido e que contempla as mais diversas temáticas voltadas para melhorar o desempenho e os resultados das cooperativas”, destaca o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.  

E os benefícios não se limitam apenas às cooperativas e cooperados. A plataforma vai além ao permitir que qualquer pessoa interessada possa se cadastrar e cursar módulos específicos como os de gestão, comunicação, governança, vendas, agricultura familiar, entre outros. Além dos cursos, os cadastrados também contam com uma vasta biblioteca com material complementar em texto, vídeo e webinários. A plataforma possui ainda um glossário completo, caso o aluno tenha dúvidas sobre conceitos ou palavras. 

Outro detalhe importante é que a CapacitaCoop também está disponível para cooperados de outros oito países de língua portuguesa: Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Os cursos estão segmentados por área de atuação e divididos em módulos. Veja a abrangência da CapacitaCoop: 

  • Cursos Internos:  Desenvolvimento de Competências e Plano Estratégico; 
  • Cursos Caminho para Excelência: Importância da Gestão; Atendimento às Partes Interessadas; Avaliação da Gestão; Avaliação da Governança; Cadeia de Valor; Gestão de Pessoa; Gestão de Resultados; Planejamento Estratégico; Gestão do Conhecimento e Informação; e Modelo de Negócio; 
  • Cursos Banco Central: Eu e Meu Dinheiro; Gestão de Finanças Pessoais; 
  • Cursos Universitário Cooperativo: Comunicação e Pensamento Crítico; Cooperativismo, Criatividade e Inovação, Design de Carreira; Gerenciamento de Projetos; Governança Cooperativa; Inteligência Socioemocional; Liderança e Práticas de Negociação; 
  • Cursos Sescoop/PNUD: Cooperativismo e Agenda Mundial de Desenvolvimento Sustentável; Elaboração e Gestão de Projetos; Introdução à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável; Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e Cooperativismo de Crédito; 
  • Cursos ConexãoCoop: Agricultura Familiar nas Compras Públicas; Primeira Exportação; Venda Mais; Vender, Comprar, Ganhar; 
  • Cursos InovaCoop: Apresentações Poderosas; Cooperativismo de Plataforma; Gestão da Mudança; Inovação: Primeiros Passos; Introdução ao Design Thinking; Mentalidade Ágil; Métodos Ágeis (Scrum); Neurociência do Consumo; Pesquisador de Tendências; Pitch; Resolução de Problemas Complexos; e Transformação Digital; 
  • Cursos Nacionais: Assembleia Geral na Prática;  Assembleias Semipresenciais e Digitais; Contabilidade de Cooperativas para Contadores; Contabilidade de Cooperativas para Dirigentes; Cooperativismo: Primeiras Lições; Direito e Legislação; Entendendo a Sociedade Cooperativa; Finanças e Contabilidade para Tomada de Decisão; Formação de Conselheiros Fiscais para a Sociedades Cooperativas; Gestão de RH para Cooperativas; Gestão Estratégica de Cooperativas; Gestão Orientada para Resultados; Governança Cooperativa: Princípios e Boas Práticas; Governança Cooperativa: Conselheiros Administrativos; Núcleos e Comitês: Como Organizar e Fortalecer o Quadro Social; O Jeito Coop de Ser Feliz; Tributação de Cooperativas para Contadores; e Tributação de Cooperativas para Dirigente.