Publicações representação

 

 
imagem site coop

Instrução Normativa DREI nº81/2020

A desburocratização é uma constante nos pleitos do coop nos últimos anos. A partir da criação da Lei de Liberdade Econômica, o trabalho tem sido intenso para desburocratizar atividades econômicas e garantir um ambiente mais favorável e juridicamente seguro para a abertura de novos negócios - que tem como resultado a geração de mais empregos. 

 

Recentemente, conquistamos avanços importantes nas regras gerais de registro público, com impacto para as coops. Em 2020 foi publicada a Instrução Normativa (IN) DREI nº 81, que consolida em um único documento todo o conteúdo vinculado ao processo de abertura, modificação e fechamento de empresário individual, empresa individual de responsabilidade limitada (Eireli), sociedades empresárias e cooperativas. 

A instrução normativa conta com contribuições do cooperativismo, apresentadas pelo Sistema OCB e acatadas pelo Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (DREI), que você pode conhecer detalhadamente acessando a cartilha sobre o tema! 

O que muda com a Instrução Normativa DREI n° 81, de 2020? Baixe a cartilha e confira!

imagem site coop

Propostas do Sistema Cooperativista para o Plano Safra 2022/2023

Muitos brasileiros não sabem, mas o cooperativismo está mais presente na vida deles do que imaginam. Do pão quentinho à salada do jantar, lá estão elas: as cooperativas agropecuárias! Formadas por cerca de um milhão de produtores rurais, elas garantem que o trigo, a carne, a laranja, o café e muitos outros itens do nosso consumo diário alimentem e vistam pessoas de dentro e de fora do Brasil.

E para que isso ocorra, as cooperativas agropecuárias precisam do estímulo do governo federal, por meio de políticas públicas como o Plano Safra. É por isso que o Sistema OCB participa da construção desse normativo. Assim, é possível defender as necessidades de cada uma delas e garantir a segurança alimentar do país.

E, assim, de grão em grão, mesmo antes de o sol raiar, as cooperativas vão plantando trabalho e colhendo resultados, traduzidos num Brasil mais próspero, produtivo e para todos.

imagem site coop

Entendendo a Sociedade Cooperativa

Numa época em que a desigualdade de rendimentos aumenta em todo o mundo, é bom lembrar que existem soluções para tal situação. O modelo cooperativo é o principal dentre eles. A sua definição internacionalmente acordada, os seus princípios e valores distinguem-no de todas as outras formas de organização empresarial. Esses princípios afirmam que a adesão a uma cooperativa é aberta, sem discriminação, a todas as pessoas que tenham interesse e o perfil necessário. Essa adesão aberta permite o acesso à criação de riqueza e à eliminação da pobreza. Isso resulta do princípio cooperativo sobre a participação econômica dos membros: "os membros contribuem equitativamente e controlam democraticamente o capital da sua cooperativa". Como as cooperativas estão centradas nas pessoas, e não no capital, não perpetuam nem aceleram a concentração de capital, e distribuem a riqueza de maneira mais justa.

imagem site coop

Cooperativismo, Agricultura Familiar e o Programa Nacional de Alimentação Escolar

O ano de 2021 começou com um cenário de muitas incertezas trazidas pela pandemia da covid-19 e marca o início de novas gestões públicas municipais. Independente do município, os poderes executivo e legislativo precisarão estar atentos às situações de vulnerabilidades socioeconômicas, insegurança alimentar e fome, intensificadas pelas crises decorrentes da pandemia. As alterações nas dinâmicas de abastecimento alimentar exigem, mais do que nunca, atenção direta à produção local de alimentos e seu escoamento.

É sobre este cenário que apresentamos este livro, cujo objetivo é subsidiar a reflexão dos gestores públicos municipais, munindo-os de questões para pensarem e planejarem uma agenda pública de desenvolvimento sustentável, articulando a agricultura familiar, o cooperativismo e o PNAE.

 

Confira!

imagem site coop

Anuário do Cooperativismo Brasileiro

Além de gerar trabalho, emprego e renda, nosso modelo de negócios transforma a realidade de milhares de brasileiros, todos os dias. Só nos últimos oito anos, o número de pessoas que se uniram a nós cresceu 62%, gente que veio cooperar por um mundo melhor. E uma das provas de que isso é possível é a quantidade de empregos gerados que aumentou 43%. E é assim, envolvendo cada vez mais brasileiros, que fortalecemos as cooperativas e o país.

O material completo e mais recente com todos os números e evoluções do cooperativismo brasileiro está disponível em versão PDF clique e acesse a versão online.

imagem site coop

Cooperativismo e Eleições - 2020

Vote pelo cooperativismo – força e caminho para mudanças

Renovação, a possibilidade de seguir por novos caminhos e promover transformações. A passagem de um ano para outro naturalmente nos faz refletir e desejar mudanças. E certamente foi assim também na virada de 2019 para 2020.

Chegou o novo ano e com ele não exatamente o que se esperava, mas sim inúmeros desafios que começariam na saúde, com uma pandemia, e se desdobrariam em várias outras frentes. Um cenário difícil, de insegurança e incertezas, que se apresentava não só para os brasileiros, mas para o mundo todo.

 

imagem site coop

Manual de Redação do Sistema OCB

O português é cheio de acordos e regras que fazem nosso idioma parecer um bicho de sete cabeças. Sabe aquelas dúvidas que todo mundo tem? Pois é, o Sistema OCB criou um manual de redação para que todos possam falar sobre o cooperativismo da mesma forma: simples, clara e direta.   

Além de dicas de português, esse material também vai tirar todas as suas dúvidas sobre temas recorrentes, por exemplo, como grafar corretamente o nome do nosso sistema e dos nossos ramos. Apresenta, ainda, uma lista com as siglas mais importantes do nosso dia-a-dia. Confira.

imagem site coop

Manual Operacional dos Títulos do Agronegócio

Historicamente, a agropecuária tem sido financiada pelo crédito rural, por recursos próprios dos produtores e pelos fornecedores de insumos. No entanto, a partir da década de 1990, houve a necessidade da criação de novas alternativas para oferecer crédito ao setor agropecuário. Foi neste momento que surgiram os Títulos do Agronegócio, com a finalidade de promover maior participação de investidores do setor privado no financiamento rural. O incentivo à utilização dos títulos ganhou força nos últimos anos. O governo passou a adotar diversas medidas para o controle de gastos, o que incluiu alterações no crédito rural, atingindo diretamente os recursos direcionados aos produtores e às cooperativas agropecuárias. Diante desta realidade, a OCB e a Ocepar, decidiram publicar o Manual Operacional dos Títulos do Agronegócio, onde é possível encontrar orientações básicas para a estruturação de operações de CDCA, CRA, LCA, CDA/WA e CPR, através da sistematização de leis, decretos, portarias e demais normativos. Assim, ao esclarecer o funcionamento dos títulos, contribui-se para que os agricultores e suas cooperativas viabilizem alternativas suplementares de financiamento para a sua produção, de forma mais ágil, simplificada e a custos compatíveis com o retorno da atividade.

imagem site coop

Ramos do Cooperativismo

No cooperativismo, o trabalho sempre é feito a muitas mãos. Juntos, olhamos para tudo o que aprendemos até aqui e para o futuro que queremos construir. E chegou a vez de olharmos para o futuro dos ramos do cooperativismo. De 13, passamos para 7. Alguns ramos se uniram, outros foram ressignificados. Agora, somos: agropecuário; consumo; crédito; infraestrutura; saúde; trabalho; produção de bens e serviços; e transporte.

Na prática, o dia a dia da cooperativa permanece igual. Com essa nova organização dos ramos, ganhamos mais poder de representação, além de oferecer um atendimento ainda mais eficaz e estruturado para as nossas cooperativas.

Baixe a cartilha e conheça os 7 ramos do cooperativismo.

imagem site coop

Folder Cooperativas na Reforma Tributária

Você sabia que as operações que uma cooperativa realiza com seus cooperados são chamadas de atos cooperativos? Pois é! E como ela é uma sociedade de pessoas e sem fins lucrativos, não deve ser tributada nesses atos.

É por isso que a OCB elaborou este material que mostra como as cooperativas agem em prol do cooperado e, também, como a tributação deve ocorrer, respeitando a Constituição Federal de 1988.

Como sempre dizemos, não queremos deixar de pagar tributos, mas garantir uma adequação tributária ao modelo societário das cooperativas.

Confira!

imagem site coop

Folder Lei Kandir

Muitos especialistas dizem que o Brasil tem uma vocação natural para ser o celeiro do mundo, produzindo e exportando alimentos. Essa afirmação se baseia nas condições que favorecem os recordes de safra, registrados ano após ano. Além de questões como água, luz, nutrientes, disponibilidade de terras e investimento em tecnologia e pesquisas, temos o incentivo da Lei Kandir, que prevê a não incidência de ICMS na exportação de produtos não industrializados e semielaborados.

Embora seja uma das condições para o bom desempenho do setor produtivo, a Lei Kandir corre o risco de ser revogada. Se isso ocorrer, estima-se que o prejuízo seja da ordem de R$ 47,8 bilhões no faturamento agropecuário.

Além de participar, rotineiramente, de debates no âmbito dos Poderes Executivo e Judiciário, para mostrar os impactos da PEC 42/2019, que propõe a revogação da Lei Kandir, a OCB elaborou um folder que mostra o resultado do setor agro e apresenta os avanços do Brasil, graças a esse incentivo.

imagem site coop

e-SOCIAL PARA COOPERATIVAS

O eSocial é uma grande inovação que o Governo Federal trouxe para o mundo empresarial e, a partir de agora, todas as informações tributárias, trabalhistas e previdenciárias serão unificadas e enviadas em um só sistema.

E nós, do Sistema OCB, entendemos que com a chegada do eSocial, várias mudanças na rotina das cooperativas serão necessárias. E também, devido a complexidade do programa, é fundamental o contínuo aperfeiçoamento dos colaboradores que irão lidar com a sua implementação e atualização. 

Pensando nisso, elaboramos este manual como forma de apoiar nossa base, explorando os temas de maior impacto do programa além de preparar as cooperativas para a transição que se inicia. A ideia é servir de orientação  - com recomendações e dicas gerais, abordando uma série de cuidados práticos a serem tomados pelas cooperativas em relação ao tema.

 

*O Sistema OCB é membro integrante do Grupo de Trabalho Confederativo (GTC) do eSocial, e acompanha os trabalhos e as questões técnicas junto ao Comitê Gestor do Programa.

 

imagem site coop

DIRETRIZES ESTRATÉGICAS DO SNCC - 2018-2022

Somos um modelo de negócio diferenciado, que tem realmente uma proposta de unir resultados econômicos e transformações sociais. Assim, temos vencido desafios e buscado constantemente a excelência. E não paramos por aqui. Sabemos bem onde queremos chegar. Queremos ver o cooperativismo reconhecido pela sociedade por sua competitividade, integridade e capacidade de promover a felicidade dos cooperados. 

Nesse contexto, nós, do Sistema OCB, aproveitamos a oportunidade para renovar o nosso compromisso com o Ramo Crédito e, com um trabalho conjunto, contribuir para fazermos um cooperativismo de crédito ainda mais forte e competitivo, demonstrando na prática que a união pode fazer a diferença.

Clique e conheça as Diretrizes Estratégicas do Cooperativismo de Crédito.

imagem site coop

COOPERATIVISMO DE SAÚDE BRASILEIRO

Este modelo cooperativo, reconhecido mundialmente, responde por mais de 32% dos beneficiários da saúde suplementar brasileira, nos planos médico e odontológico. São mais de 22 milhões de brasileiros que utilizam planos de saúde cooperativos. O cooperativismo de saúde também é fundamental no atendimento público de saúde, com grande atuação de profissionais cooperados em hospitais que atendem o SUS.

imagem site coop

COOPERATIVISMO E AS ELEIÇÕES 2018

Em 2018 cada um de nós, cada cooperado, tem a oportunidade de escrever um novo capítulo na história do país. E para termos uma participação efetiva e responsável, preparamos uma série de vídeos e uma cartilha especial que falam um pouquinho sobre o papel do cooperativismo nas eleições. Somos muitos, somos fortes e podemos ser protagonistas dessa transformação.

imagem site coop

GUIA DE CONSTITUIÇÃO DE COOPERATIVAS DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA FOTOVOLTAICA

O Brasil vive uma grande necessidade de diversificar sua matriz energética. Por isso, aliar desenvolvimento, meio ambiente e cooperação, pode ser uma das alternativas para produzir e distribuir energia limpa.

Como fazer isso? É simples. Basta conhecer a cartilha Cooperativas de Energia – Guia de Constituição de Cooperativas de Geração Distribuída Fotovoltaica, desenvolvida pela OCB, em parceria com a Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit) e DGRV, Confederação Alemã de Cooperativas.

O material, disponível em formato impresso e digital, explica o que é uma cooperativa de geração distribuída, como montar sua estrutura e formalizá-la, os cuidados na preparação dos estudos de viabilidade e diferentes modelos de negócio, entre outros temas.

imagem site coop

AGENDA INSTITUCIONAL DO COOPERATIVISMO

A décima terceira edição da Agenda reforça o nosso compromisso com um Brasil mais justo e de igualdade de condições. As principais pautas de interesse do cooperativismo estão reunidas nesta publicação, que inclui proposições em tramitação nos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário.

Somos um setor com uma proposta ímpar de atuação e peculiaridades de um modelo de negócio pautado no esforço coletivo e no compartilhamento. Fazer com que as especificidades das cooperativas sejam contempladas na legislação tributária brasileira é um ponto fundamental para o crescimento do cooperativismo e do país.

A Agenda está disponível em versão PDF, no botão ao lado e em versão online, acesse aqui.

imagem site coop

SISTEMA NACIONAL DE CRÉDITO COOPERATIVO (SNCC)

Instituições financeiras sem fins lucrativos, as cooperativas de crédito têm como um de seus principais pilares a inclusão financeira. Como resultado da união de esforços, alcançam centenas de municípios onde não estão presentes os bancos, oferecendo taxas e tarifas mais vantajosas e condições ajustadas às necessidades locais. E mais! Os cooperados têm voz ativa nas decisões e nos resultados de suas cooperativas.

É importante ressaltar, que além de serem fiscalizadas e reguladas pelo Banco Central, as cooperativas de crédito contam com o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), para dar ainda mais segurança a todos os cooperados.

imagem site coop

FUNDAMENTOS DO COOPERATIVISMO

Você sabia que o cooperativismo é o modelo de organização coletiva que, além de impulsionar a economia mundial, é um dos maiores responsáveis pela inclusão da população no mercado formal de trabalho? Sim, o movimento cooperativista global dia após dia tem sido reconhecimento por sua capacidade de realização e transformação.

Para ajudar as pessoas que querem conhecer ou ampliar seu conhecimento a respeito do negócio cooperativo, o Sistema OCB apresenta o livro Fundamentos do Cooperativismo. O material é rico em doutrina, história, legislação básica, estrutura e organização das cooperativas, com destaque para a realidade brasileira.

Mergulhe de cabeça nesse modelo econômico que valoriza a capacidade produtiva de seus associados sem fazer distinção de raça, credo, religião, situação econômica ou gênero. Seja você, também, um entusiasta do cooperativismo. 

imagem site coop

QUADRO GOVERNAMENTAL

Um dos objetivos do Sistema OCB é acompanhar e divulgar os atos do governo que podem impactar direta ou indiretamente a vida dos brasileiros, especialmente os que fazem parte de uma cooperativa.

É por isso que foi criado o Quadro Governamental, um panorama atualizado periódica e constantemente, a fim de prestar informações relevantes e atualizadas às lideranças do cooperativismo.

O material é rico em análises a respeito dos principais atores políticos do Poder Executivo e também traz um detalhamento das estratégias do Palácio do Planalto que possuem uma interface direta com as cooperativas do país. O estudo é apresentado em formato interativo, e o leitor tem a liberdade de acessar as informações que mais podem interessá-lo.